Cidadãos da Austrália, Canadá, EUA e Japão terão visto eletrônico para o Brasil

Segundo o Ministério das Relações Exteriores, o sistema dá mais rapidez e comodidade à solicitação de visto para o Brasil
Visto eletrônico para o Brasil
 Os cidadãos australianos, canadenses, norte-americanos e japoneses poderão requerer o visto brasileiro por meio do Programa de Visto de Visita por Meio Eletrônico (e-Visa). Segundo o Ministério das Relações Exteriores, o sistema dá mais rapidez e comodidade à solicitação de visto para o Brasil e aumenta a eficiência na prestação dos serviços consulares.

Em 2016, os consulados brasileiros localizados nesses quatro países foram responsáveis por 63,74% da demanda mundial por vistos de turismo e 58,15% da demanda por vistos de negócios rumo ao Brasil. O e-Visa brasileiro custará US$ 40, cerca de R$ 130. Diferente do visto comum, que tem validade de até cinco anos, o e-Visa tem validade máxima de dois anos e não exclui a possibilidade de o interessado solicitar visto da forma tradicional, por meio da rede consular brasileira.

Para que o beneficiário possa embarcar para o Brasil, é necessário que ele apresente à companhia aérea a cópia impressa ou imagem digitalizada do visto eletrônico. A Polícia Federal está plenamente integrada ao novo sistema, e há a previsão de integração, em futuro próximo, com os e-Gates (serviços automatizados de conferência de passaportes) nos aeroportos brasileiros, atualmente exclusivos para cidadãos do Brasil.

O estrangeiro do Canadá, Estado Unidos, Japão ou Austrália interessado em vir ao Brasil poderá requerer o e-Visa e obtê-lo de forma remota, pelo site ou aplicativo em celular ou tablet pelo www.vfsglobal.com/brazil-evisa. O programa eletrônico estará disponível a partir desta terça-feira (21/11) para os australianos, de 11 de janeiro de 2018 para os japoneses, de 18 de janeiro de 2018 para os canadenses, e de 25 de janeiro de 2018 para cidadãos norte-americanos.
Fonte: Correio Braziliense

Como tirar visto para Malaui

Países isentos de visto no Malaui
Estrangeiros oriundos de países do Commonwealth (exceto Camarões, Índia e Nigéria) e dos países listados abaixo não necessitam de visto para entrar no Malauí, a não ser que planejem ficar no país por mais de 90 dias:

Antígua e Bermudas, Austrália, Bahamas, Barbados, Bélgica, Belize, Brunei, Canadá, Chipre, Dinamarca, República Dominicana, Ilhas Fiji, França, Gâmbia, Alemanha, Gana, Guiana, Islândia, Irlanda, Itália, Jamaica, Estados Unidos da América, Japão, Quênia, Kiribati, Lesoto, Luxemburgo, Madagáscar, Malásia, Maldivas, Malta, Ilha Maurícia, Moçambique, Namíbia, Nauru, Países Baixos, Nova Zelândia, Noruega, Papua Nova Guiné, Portugal, Ilhas Samoa (Ocidental), San Marino, Seychelles, Serra Leoa, Singapura, Ilhas Salomão, África do Sul, Sri-Lanka, São Vicente e Granadinas, Suazilândia, Suécia, Tanzânia, Tonga, Trinidade e Tobago, Tuvalu, Vanuatu, Zâmbia, Zimbábue, Uganda, Reino Unido da Grã-Bretanha e Colônias.

Exigências para solicitação de visto
Para solicitar o visto, o passaporte deve ser válido por pelo menos mais 6 (seis) meses após a data da viagem. Outras exigências são:

  • Duas (2) cópias preenchidas, em inglês, do Formulário nº 27: "Formulário de Solicitação de Visto de Entrada no Malaui". Para fazer o download do formulário acesse o site do Departamento de Imigração do Malaui: http://www.immigration.gov.mw;
  • Duas (2) fotos tamanho 3x4;
  • Carta de Apresentação da pessoa/organização que está apoiando sua visita ao Malaui;
  • Carta de respaldo do anfitrião (Carta Convite) - a pessoa ou organização que você irá visitar no Malaui;
  • Carta de Confirmação do país, caso a pessoa esteja viajando a negócios;
  • Visto de saída ou permissão para residência emitido por seu país de residência (caso não seja nativo daquele país);
  • Passagem aérea ida/volta, indicando o itinerário;
  • Comprovante de reservas em algum hotel no Malaui;
  • Extrato Bancário (últimos 3 meses). 

Taxas de visto
As taxas para visto são as seguintes:

Visto de Trânsito - US$70.00

Visto de Entrada Única - US$100.00

Visto de Entradas Múltiplas - US$220.00 (válido por 6 meses) e US$300.00 (válido por 1 ano)

Nota: Todos os solicitantes devem pagar os valores das taxas de visto em dólar americano e em espécie. Os solicitantes receberão um comprovante após o pagamento efetuado.

Atendimento
O Serviço Consular da Embaixada funciona de segunda à sexta, exceto aos feriados, e os horários para solicitação de visto são de 10h às 12h e das 14h às 15h30min. O tempo para emissão de visto é de três (3) dias em circunstâncias normais. Entretanto, é possível que a emissão do visto se dê mais rapidamente em circunstâncias especiais, como emergências familiares, por exemplo (caso atenda à todos os quesitos obrigatórios de emissão de visto).

Endereço: SHIS QI 15 Conjunto 3 Casa 1 - Lago Sul CEP: 71635-230 – Brasília/DF
Tel: (61) 3366-1337/3364-3186 Fax: (61) 3365-2149
Site: http://www.embaixadadomalawinobrasil.com.br/imigracao_.php?id=8
E-mail: malawiembassybrazil@gmail.com

Governo envia ao Congresso proposta para liberar R$ 102 mi para emissão de passaportes

Serviço está suspenso desde terça porque atingiu limite de gastos previstos; segundo governo, emissão poderá ser retomada nos próximos dias após o reforço do orçamento.
emissão de passaportes

O governo encaminhou ao Congresso Nacional projeto de lei que abre um crédito suplementar de R$ 102,4 milhões ao Ministério da Justiça para regularizar a emissão de passaporte. O serviço está suspenso desde as 22h de terça-feira (27) porque atingiu o limite de gastos previstos no Orçamento da União.

"Dada a urgência do tema, a Comissão Mista de Orçamento pode votar o PL ainda nesta semana e o Congresso Nacional na próxima semana. A abertura de crédito suplementar no orçamento só pode ser feita via projeto de lei e não medida provisória", disse o Ministério do Planejamento, em comunicado, na quarta-feira (28).

Segundo o ministério, o serviço poderá ser retomado nos próximos dias após o reforço do orçamento.

A Polícia Federal anunciou que suspendeu a emissão de novos passaportes desde as 22h de terça-feira (27) devido à "insuficiência do orçamento". Antes de isso acontecer, a PF diz que enviou ao menos 10 ofícios alertando o governo sobre a situação.

Somente serão emitidos os passaportes de emergência, ou seja, para situações que necessitem do documento de viagem e não possam comprovadamente esperar o prazo normal de confecção e entrega, como motivos de saúde, trabalho ou catástrofes naturais, por exemplo. Nos casos de emergência não entram os emitidos para viagens a turismo.

Para emitir um passaporte, é preciso pagar uma taxa de R$ 257,25 correspondente à emissão do documento. No caso de passaportes de emergência, a taxa sobe para R$ 334,42.

O motivo da suspensão da emissão de passaportes não é falta de verba, já que os brasileiros pagam a taxa de R$ 257,25 pelo documento. O problema passa pelo estouro do teto da Lei Orçamentária Anual.

Segundo a PF, a taxa que é paga pelos cidadãos para a emissão do passaporte não é destinada, necessariamente, ao serviço. O dinheiro vai para a Conta Única do Tesouro Nacional, que repassa parte da verba para o Funapol, fundo destinado para reaparelhamento da Polícia Federal. Para esse fundo vai não somente a taxa do passaporte, mas todas as outras que são cobradas pela Polícia Federal, como renovação de porte de arma ou as cobradas de empresas privadas de segurança, por exemplo.

A Polícia Federal informou que encaminhou pelo menos 10 ofícios este ano alertando o governo federal sobre a situação dos passaportes. O último foi enviado na terça-feira, assinado pelo diretor geral da PF e encaminhado para o Ministério da Justiça. No ofício, de três páginas, Leandro Daiello recomendou que o problema seja resolvido por meio de medida provisória, e anexou os recibos dos outros ofícios que já tinham sido enviados alertando sobre o problema.

Como se trata da LDO e da LOA, o problema só pode ser resolvido por projeto de lei ou por medida provisória.

O governo federal não faz uso de medida provisória para resolver problemas da LDO e da LOA. A única solução, portanto, seria o projeto de lei, cujo processo é demorado porque depende da elaboração e aprovação no Congresso.
Fonte: G1

Casa da Moeda suspende produção de passaportes por falta de pagamento

Confecção do documento está paralisada desde a última quarta (7); pagamento do serviço é responsabilidade do Tesouro Nacional
passaportes
 
Responsável pela impressão dos passaportes brasileiros, a Casa da Moeda suspendeu a produção do documento desde a última quarta-feira (7) por falta de pagamento, apurou a GloboNews.

Os postos de atendimento da Polícia Federal (PF) responsáveis pela emissão dos passaportes já foram informados que a confecção do documento está paralisada.

A previsão é de que a interrupção gere mais atraso na entrega do documento, que, antes mesmo da decisão da Casa da Moeda, já estava demorando mais do que o prazo máximo de seis dias úteis. O risco agora é que o serviço seja paralisado às vésperas das férias de verão.

O contrato de produção dos passaportes é formalizado pela Polícia Federal diretamente com a Casa da Moeda. No entanto, o pagamento do serviço é feito pelo Tesouro Nacional.

Em junho, a produção de passaportes comuns e de urgência ficou temporariamente parada por causa de uma falha em um dos equipamentos usados para confeccioná-los. Sediada no Rio de Janeiro, a Casa da Moeda produz mensalmente 183.300 passaportes.

Dívida
A GloboNews também apurou que a dívida da União com a Casa da Moeda referente aos meses de outubro e novembro já acumula R$ 18,7 milhões. Porém, a dívida total do governo com a Casa da Moeda já ultrapassa R$ 100 milhões.

O contrato da PF com a Casa da Moeda, conforme apurou a reportagem, está vencido e o novo contrato qainda não foi formalizado.

Taxa de emissão

Para emitir um passaporte, é preciso pagar uma taxa de R$ 257,25 correspondente à emissão do documento.

Em casos de urgência, a taxa sobe para R$ 334,42 e o prazo de entrega, que normalmente é de seis dias úteis, é reduzido.

O dinheiro arrecadado com a emissão dos passaportes, segundo o setor responsável na Polícia Federal, seria suficiente para o pagamento do serviço de impressão realizado pela Casa da Moeda.

A PF, entretanto, ressalta que a arrecadação vai direto para o Tesouro Nacional, que não necessariamente utiliza o dinheiro para pagar os serviços prestados pela Casa da Moeda.

Ao G1, a Secretaria do Tesouro Nacional informou que os recursos previstos no Decreto de Programação Financeira, dos quais são pagas as despesas de confecção dos passaportes, foram integralmente repassados ao Ministério da Justiça dentro do cronograma previsto. De acordo com o órgão, compete ao ministério a alocação dos recursos.
Fonte: G1

Canadá pretende não exigir visto de (alguns) brasileiros a partir de 2017

Seriam beneficiados brasileiros que tiveram visto de residente temporário do Canadá nos últimos 10 anos ou que possuam visto americano válido
Canadá

O Governo do Canadá anunciou nesta segunda-feira a intenção de autorizar muitos brasileiros a viajar ao país sem visto a partir de 1° de maio de 2017.

Seriam beneficiados os cidadãos do Brasil que tenham sido titulares de um visto de residente temporário do Canadá nos últimos 10 anos ou que possuam um visto válido de não-imigrante dos Estados Unidos. Em vez disso, eles teriam a opção de solicitar uma Autorização Eletrônica de Viagem (Electronic Travel Authorization — eTA). Aqueles que não se enquadrem nestes critérios ainda precisariam solicitar um visto de visitante para viajar ao Canadá.

Solicitar uma eTA é um processo online simples e barato (7 dólares canadenses, ou menos de R$ 20), que leva somente alguns minutos para ser concluído. A eTA está eletronicamente conectada ao passaporte do viajante e é válida por cinco anos ou até que o passaporte expire, o que ocorrer primeiro.
Fonte: Zero Hora

Ministro quer testar isenção de visto por 1 ano

ministro do Turismo

O ministro do Turismo, Marx Beltrão, participou esta manhã da reunião do Conselho Executivo de Viagens e Eventos Corporativos (Cevec), da Fecomercio-SP, presidido por Viviânne Martins e composto por um grupo executivo e outro consultivo. Beltrão se disse aberto ao diálogo com toda a indústria (e já recebeu diversos líderes em Brasília) e pregou a união com a iniciativa privada. Uma de suas bandeiras é aprovar a isenção de vistos para Austrália, Canadá, Estados Unidos e Japão, como na Olimpíada Rio 2016, e ainda acrescentar a China, em um teste de um ano para avaliar resultados. “O Brasil perdeu US$ 18 milhões com as taxas de vistos que deixou de arrecadar para a Rio 2016, mas os visitantes desses mercados deixaram no País US$ 142 milhões”, exemplificou.

A questão dos vistos faz parte de uma agenda legislativa e de interface com os demais ministérios que Marx Beltrão, ele mesmo deputado federal, já iniciou. A revisão da Lei Geral do Turismo (uma proposta feita pela CNC será entregue a ele em novembro) e um novo Plano Nacional de Turismo fazem parte das urgências, assim como reuniões com ministérios ligados à infraestrutura, como o das Cidades. Esta semana, o ministro finaliza de receber parlamentares para aprovar e debater emendas que devem ser incluídas no orçamento de 2017.

Marx Beltrão prometeu ainda um novo desenho para a Embratur, entidade que foi criticada pela presidente do Cevec. “Por que a Embratur não está próxima da indústria? Por que não conseguimos captar turistas, viajantes corporativos e eventos para sairmos dessa posição tímida no ranking mundial?”, indagou. O ministro está ciente das limitações da Embratur e prometeu também lutar para mais verba de promoção. “Enquanto temos R$ 18 milhões para esse fim, nossos vizinhos gastam até 27 vezes mais”.

"Os maiores gargalos do Turismo dependem de vontade política. Temos de mudar isso. Não adianta termos recursos naturais e não conseguirmos materializar negócios. O Brasil é um transatlântico em um açude. Turismo tem de ser prioridade para o governo", disse o ministro, que prometeu também menos burocracia, inclusive para a iniciativa privada chegar às orlas, florestas e parques nacionais brasileiros.
Fonte: Panrotas

Brasil terá visto eletrônico para Canadá a partir de março de 2016

CanadaO ministério de Cidadania e Imigração do Canadá confirmou a entrada do Brasil no programa de visto eletrônico do país, intitulado Eta (Electronic Travel Authorization).

A partir de 15 de março, brasileiros que possuem visto norte-americano ou que já tiveram o visto canadense nos últimos dez anos podem solicitar a autorização de viagem para uma nova entrada no Canadá. Viajantes que não se encaixam nessas duas situações devem solicitar o visto canadense por meio do processo antigo, de acordo com as exigências do consulado do país.

Vale ressaltar, porém, que a data divulgada pelo governo canadense pode sofrer autorizações, já que é necessário ainda realizar uma integração com o sistema de emissão de vistos eletrônicos dos Estados Unidos (Esta).

Veja como funciona a Electronic Travel Authorization do Canadá (vídeo com narração em inglês).

Fonte: Panrotas

Como tirar visto para Irã

Vistos Consulares: Todas as nacionalidades necessitam de visto.

Documentação Necessária:
1. Formulário de visto preenchido;
2. 2 fotos 3x4 recentes
3. Passaporte Válido;
4. Comprovante de pagamento original da taxa consular;
5. Número do visto enviado do Irã.
6. Atestade de Saúde indicando ausência de doenças tais como Malária, Dengue e Febre Amarela.

BANCO DO BRASIL
CNPJ 04119077/0001-36
AGÊNCIA 1606-3
CONTA CORRENTE 403315-9

·   O valor atual da taxa para passaporte de outros países tem valor diferenciado (podendo sofrer alteração).
· Valor do Sedex para reenvio do passaporte: 58,00 reais
· O pagamento da taxa consular e do Sedex deverá ser feito via depósito bancário

Dúvidas ou mais informações:
a)Tel.: (61)3242-5733
b)Fax: (61)3244-9640
Horário de Funcionamento da Seção Consular
Segunda à Sexta das 08h00min às 13h00min pela manhã e   das 15:00 ás 17:00 da tarde

No caso de visto de negócios, por favor enviar também uma carta  informando todos os dados da empresa em que trabalha,o motivo da viagem e informações da empresa com quem fará contato no Iran.

Embaixada e Consulados Brasileiros no Exterior:
Embaixada do Brasil em Teerã
Vali-E-Asr Avenue
Zafaranieh - Yekta Street nº 26 (Corner of Bahar Street)
P.O.BOX 19945/149
Tel.: (98) 2274-3996 ou 2273-5010 - Fax : (98) 2274-4009
e-mail: embassy@braziliran.org
site: http://www.braziliran.org/

Embaixada e Consulados estrangeiros no Brasil:
Embaixada do Irã em Brasilia - DF
SES av. das Nações, Quadra 809 - Lote 31 
Brasília - D.F CEP: 70421-900
Tel.: (61) 3242-5733 - Fax: (61) 3244-9640
E-mail: webiran@webiran.org.br
Site: http://irembassybr.com/Default,pt-BR,ieb,Content,Default.aspx

Formulário
Baixar formulário

Informações:
visto.consular@hotmail.com

Para formulários de visto dos paises, acesse o link abaixo e faça download.
Download de formulários de visto dos paises do blog

Validade de novo modelo de passaporte é ampliada de 5 para 10 anos

passaporte-novoO passaporte brasileiro tem nova versão, lançada hoje (10). Entre as mudanças está a validade do documento, que passa de cinco para dez anos. Segundo o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, com a medida, o Brasil estará alinhado com o padrão adotado em outros países.

“Estávamos tendo um grande acúmulo de pedidos de expedição de passaporte e de renovação e não havia sentido manter uma tradição que não é seguida no mundo”, disse o ministro.  

Com a mudança na validade, os itens de segurança foram reforçados. Foi adotado outro padrão de criptografia para a assinatura digital, com o objetivo de aumentar a segurança dos dados gravados no chip. A capa tem um novo visual, e também foram feitas modificações na imagem fluorescente, que não pode ser vista a olho nu.

De acordo com o ministro, os elementos de segurança adotados dificultam a falsificação do documento. “Quando a tecnologia avança, o crime também se apropria da tecnologia para avançar, então o Estado tem que estar atento a isso”, disse Cardozo.

Na entrevista coletiva, o diretor-geral da Polícia Federal (PF), Leandro Daiello, ressaltou que os elementos de segurança no documento brasileiro possibilitaram a aprovação do aumento da validade. “O Brasil passou por uma série de aprovações de testes dos seus elementos de segurança. Aprovados, [isso] possibilita que o nosso documento, então, tenha uma validade de dez anos. Nós nos equiparamos aos elementos de segurança dos passaportes no mundo”, disse.

Segundo Cardozo, quem ainda tem o passaporte no modelo antigo pode usá-lo até o fim do prazo de validade. Para as novas emissões, será cobrada taxa de R$ 257,25. De acordo com o ministro, desde 2006, o valor não era reajustado e a atualização foi feita pelo valor da inflação. Na solenidade de lançamento do documento, o ministro fez a entrega de dois passaportes a cidadãos.

O Ministério das Relações Exteriores informou que o novo passaporte será lançado no exterior a partir de agosto, de forma escalonada. “A defasagem em relação ao lançamento no Brasil decorre da necessidade de adequar as entregas do novo material pela Casa da Moeda e os imperativos logísticos para distribuir esse material para os cerca de 200 postos no exterior”, explica o Itamaraty em nota.

Os consulados brasileiros na América do Sul e América Central serão os primeiros a fazerem a emissão. Logo depois, o documento será emitido na África, Ásia, Europa e Oceania. A previsão é que em outubro o passaporte seja emitido também na América do Norte.

A nota do Itamaraty destaca que o aumento da validade era uma demanda antiga dos brasileiros que vivem no exterior. “O lançamento do novo passaporte constitui um marco importante no processo de aperfeiçoamento constante dos serviços consulares”, diz o comunicado.
Fonte: EBC

Polícia Federal faz alterações no Sistema Nacional de Passaporte

passaporte-br
Alterações no Sistema Nacional de Passaporte (Sinpa) entraram em vigor na última segunda-feira (24), para facilitar o atendimento da Polícia Federal (PF) às pessoas que viajam para o exterior, entre elas a inclusão da autorização de viagem para menores desacompanhados ou com apenas um dos pais no próprio passaporte, que constará no sistema da PF.

Antes, para os menores de idade viajarem desacompanhados, era necessária uma autorização dos pais, impressa e com firma reconhecida. No caso de um dos pais acompanhar o menor, a viagem deveria ser autorizada pelo outro. Com a mudança nas normas, pode ser incluída também no passaporte a autorização parcial, que permite a viagem com apenas um dos pais.

Agora os pais têm a opção de imprimir esse documento na página de identificação do passaporte dos filhos no momento da confecção do documento de viagem. Não será necessário ir a um cartório autenticar o documento para que o menor possa viajar.

Outra novidade é a inclusão do campo “filiação” no passaporte, e um aviso automático da PF,  por e-mail, quando faltarem oito meses para o passaporte vencer.
Fonte: Agência Brasil